Dentro do meu peito

novembro 24, 2017

Eu e o maninho. Praia do Navio, Santa Cruz.


O tempo passa por nós. Vamos ficando gastos pelo tempo, mas também vamos ficando maduros, conhecedores do mundo que nos rodeia. Mudamos as nossas prioridades de tempos a tempos e as nossas vontades vão ficando cada vez mais simples e mais bonitas.
Continuamos a sonhar, com os olhos postos no futuro e a brilhar. Lutamos por caminhos diferentes, mas o nosso sorriso continua ali, em casa, para o abraçarmos quando quisermos.

Crescemos juntos. Continuaremos a crescer. Em cidades diferentes, mas juntos.

Já não somos as crianças que berravam uma com a outra.

Sou uma mulher que te vê como o bem mais precioso da minha vida. Que te vê como um bebé que pegava ao colo como um peluche e a quem mudava a fralda como se de um Nenuco se tratasse. Foste a melhor prenda que eu alguma vez poderia receber.

E tu estás a tornar-te num homem, por mais impossível que me possa parecer e por mais que me custe admitir. Cresces num piscar de olhos e eu não acredito nisso! E mesmo quando tiveres quarenta anos, serás para mim o meu amor, o meu mano mais novo, o meu mundo!

Dentro do meu peito, há um pedaço de coração que bate também por ti, todos os dias.

You Might Also Like

12 comentários

  1. Tu escreves tão bem querida :)
    Os nossos irmãos são a melhor prenda que os nossos pais nos deram, apesar das brigas de do quão "chatos" poderão ser estaremos sempre prontos a ampará-los, a ter medo por eles e a tentar protegê-los do mundo. São os nossos manos mais novos para sempre mesmo depois de crescerem.

    ResponderEliminar
  2. Que ternura de texto *.*
    Sou filha única, mas acabei por encontrar em algumas pessoas uma aproximação desse laço

    ResponderEliminar
  3. r: Pode ser assustador, mas a verdade é que tão depressa estamos bem, como uns segundos depois podemos fechar os nossos olhos para sempre. Claro que temos que procurar evoluir, fazer mais e colmatar essa insatisfação que possa existir. Mas não nos podemos deixar submergir em queixas constantes, ao ponto de nos esquecermos de apreciar tudo o que a vida nos oferece de bom.
    É isso mesmo! Acredito que somos mais felizes quando somos gratos e valorizamos aquilo que nos acontece

    ResponderEliminar
  4. Texto lindo e foto maravilhosa.
    Sou apaixonada por essa expontaneidade!

    ResponderEliminar
  5. r: Quando tiveres, recomendo!

    A sério? Há mesmo coincidências felizes *.*

    ResponderEliminar
  6. r: Muito obrigado, Carolina! *.*
    Bem, este texto transparece tanto amor e ternura! Sou filha única, mas acho o amor de irmãos absolutamente lindo!! <3

    ResponderEliminar
  7. R: oh :) Talvez porque também tu tens um sentimento bonito pelo teu irmão.
    Beijinho querida

    ResponderEliminar
  8. O texto está tão querido. :) O tempo é assim, não pára, também acho que nos podemos tornar cada vez melhores, mais maduros, mais simples. Beijinhos

    ResponderEliminar
  9. O texto está tão bonito!
    https://sunflowers-in-the-wind.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  10. Que texto tão querido! Sou filha única e não consigo partilhar exatamente o mesmo sentimento, mas é tão bonito de se ver!
    Muito obrigada pelo comentário :)
    Beijinho

    Automatic Destiny

    ResponderEliminar
  11. Arrisco afirmar que a última frase descreve aquilo que sinto pela minha irmã e pelo meu irmão. Como se o meu coração batesse por eles, como se sentisse as tristezas e as alegrias deles com todo o meu ser. Este, para mim e para já, é dos amores mais verdadeiros e sinceros que já conheci. Gosto de me agarrar a este sentimento e acariciá-los com tudo o que tenho. :)
    Gostei mesmo muito!

    ResponderEliminar

Obrigada pela tua visita :)

Instagram

Em destaque

Carta a uma (c)idade