Quando eu morri

fevereiro 03, 2018



Imagem retirada do Tumblr.






Os meus pés já não aguentam o chão que pisam. É duro, gélido e cheio de espinhos que me perfuram a carne até aos ossos. É escuro, cheio de vontade de matar, cheio de fome e sede de sangue. Que se faça a vontade ao chão porque os meus pés, depois de tanto fraquejarem, caminharam ainda neste pó aglomerado que faz terra e terra esta que faz chão. Porque os meus pés já não se aguentam de pé! Porque os meus pés perderam a força de caminhar e a firmeza de quem vive. 
Manhãs desoladas. Tardes contagiadas pelas manhãs. Dias assim.
Hoje foi o meu último dia. O fim do meu mundo. Que esse chão seja saciado, que hei-de morrer ainda antes de o sol se pôr. A morte chegará aos meus ossos antes de a lua nascer.
Quando eu morri, vi os meus olhos a perderem o brilho que já não tinham. Ouvi a minha voz que já não falava. Respirei o suspiro inexistente e ouvi o meu coração que já não batia. O que tinha acontecido era óbvio. Eu tinha morrido. Sem vida, sem nada – era eu. E aquilo era a Morte! Mas eu continuava a pensar e a ver-me. Estava deitada no chão da casa-de-banho. Era eu! No chão duro e frio. No gelo do desamparo e na dureza da vida morta.
(2013)

You Might Also Like

17 comentários

  1. Amiga, que linda mensagem e bela imagem!
    Lembrei de um pensamento que tenho no Pensadorinfo, minha coleção
    Jogue sua rede no mar da vida e mesmo que ao recolher descubra que ela está varia, não desanime, não deixe que a tristeza lhe sufoque, lance outra vez e quantas vezes sejam necessárias para que venha a bonança. Lembre-se, a vida é como um mar revolto em ondas, tempestades e depois a calmaria. As ondas que nos renovem, por dentro, em silêncio é como as ondas que vão e voltam trazendo esperança .
    Prof Lourdes Duarte


    Parabéns! tenha um lindo fim de semana.bjus

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada pelo seu comentário! Um excelente Domingo! Beijinhos :)

      Eliminar
  2. Que texto lindo, cheio de sentimento e profundidade!!
    Um excelente sábado!

    ResponderEliminar
  3. Obrigada pela partilha de um texto desta intensidade!

    Um beijinho!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu é que agradeço as vossas palavras! São muito importantes para mim, a sério!

      Eliminar
  4. Que texto tão profundo e que até arrepios me ttouxe!! Escreves muito bem :D

    ResponderEliminar
  5. Um texto que inquieta! Não me canso de te ler *.*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida Andreia, palavras como as tuas derretem-me o coração! Agradeço imenso!!!

      Eliminar
  6. Um texto bastante profundo, mas ainda assim incrível. Sei que já te disse, mas tu escreves mesmo mesmo bem :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida Mary, obrigada a sério, pelas tuas simpáticas palavras!

      Eliminar
  7. Um texto comovedor, pleno de palavras plenas de dor, amargura, desilusão e tristeza.
    Carolina a vida é feita de dualidades e se hoje o dia é de fortes tempestades, não desanimemos pois certamente que estas irão passar e logo o sol voltará a brilhar.
    Agradeço a sua visita ao meu cantinho, adorei a forma sentida como escreve, já estou seguindo para melhor divagar pelo seu Bem-Me-Quer.
    Bom domingo
    Beijinhos
    Maria de
    Divagar Sobre Tudo um Pouco

    ResponderEliminar
  8. Simplesmente adorei o texto, tens uma óptima capacidade de escrita.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada, querida, nem sabes como é bom ler isso :)

      Eliminar
  9. r: Não tens que agradecer, minha querida, só disse a verdade <3

    ResponderEliminar

Obrigada pela tua visita :)

Instagram

Em destaque

Carta a uma (c)idade